FORMAÇÃO DOCENTE E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS POR MEIO DO PROJETO "TODA CIDADE ENSINA"

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.538

Resumo

Em consequência da pandemia do novo coronavírus, as instituições de ensino necessariamente migraram para a forma remota, decorrente disso, visando atender as pluralidades das necessidades da comunidade externa, iniciações extensionistas nos cursos de licenciaturas se tornam opções viáveis, proporcionando uma maior democratização da Ciência e tendo como foco a Alfabetização Científica. A formação docente requer iniciativas para tornar-se de maior amplitude a relação da sociedade com a Ciência, proporcionando um diálogo e uma troca de saberes que vai além dos muros da universidade. Diante do cenário exposto, o trabalho a seguir relata a experiência do desenvolvimento do projeto extensionista ‘Toda Cidade Ensina’ realizado por estudantes e professores da Educação Básica, licenciandos em Ciências Biológicas, técnicos e docentes da Universidade Federal de Santa Maria. Para o desenvolvimento do projeto, buscamos espaços não formais de educação, da região, visando potencializar didaticamente esses espaços, por meio da produção de vídeos e materiais complementares, sintetizando diferentes temas recorrentes no Ensino de Ciências. Consideramos que as ações extensionistas devem ser incorporadas e valorizadas no currículo das graduações, propiciando uma formação ampla e crítica dos educandos, além de contribuir com um diálogo permanente com a comunidade. 

 

Biografia do Autor

Keiciane Canabarro Drehmer-Marques, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil

Doutora e Mestre em Educação em Ciências pela Universidade Federal de Santa Maria, licenciada e bacharela em Ciências Biológicas pela UFSM.

Jessica Morales Oviedo da Luz, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil

Graduanda em Ciências Biológicas Licenciatura na Universidade Federal de Santa Maria.

Luiz Caldeira Brant de Tolentino-Neto, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil

Doutor em Educação pela Faculdade de Educação e licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (USP). É professor do Departamento de Metodologia do Ensino do Centro de Educação da Universidade Federal de Santa Maria (MEN- CE/UFSM), líder do Grupo de Pesquisa IDEIA - Educação em Ciências.

Referências

AFONSO, C. A. Internet no Brasil – alguns dos desafios a enfrentar. Informática Pública, v. 4, n. 2, p. 169-184, 2002. Disponível em: http://pbh.gov.br/informaticapublica/ANO4_N2_PDF/ip0402afonso.pdf Acesso em: 10 de set. 2020.

BARROS, V. C.; SANTOS, I. M. Além dos muros da escola: a educação não formal como espaço de atuação da prática do pedagogo. In: V ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DE ALAGOAS, 2010, Alagoas. Anais...Alagoas, v. 5, p. 1-9, 2010. Disponível em: https://docs.favenorte.edu.br/files/biblioteca/publicacoes-online/ALEM-DOS-MUROS-DA-ESCOLA-A-EDUCACAO-NAO-FORMAL-COMO-ESPACO-DE-ATUACAO-DA-PRATICA-DO-PEDAGOGO.pdf . Acesso em: 15 de mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Extensão Universitária. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras e SESu/MEC. Edição Atualizada Brasil 2000/2001. Brasília: MEC, 2002.

BRASIL. FORPROEX. Fórum Nacional de Pró-Reitores de Extensão das Instituições de Educação Superior Públicas. Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus: 17 maio 2012.

BRASIL. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF., 26 jun 2014. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 5 mai.

BRASIL. Resolução n. 7, de 18 de dezembro de 2018a. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei nº 13.005/2014, que aprova o Plano Nacional de Educação – PNE 2014-2024 e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF. 17 dez de 2018. Disponível em:http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=104251-rces007-18&category_slug=dezembro-2018-pdf&Itemid=30192 . Acesso em: 6 nov. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018b. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf . Acesso em: 8 dez. 2020.

CHASSOT, A. Catalisando Transformações na Educação. Ijuí: Ed. Unijuí, 1993

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista brasileira de educação, n. 22, p. 89-100, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000100009 . Acesso em: 28 abr. 2021.

CHAUÍ, M. S. Escritos sobre a universidade. São Paulo: Unesp, 2001.

DREHMER-MARQUES, K. C.; TOLENTINO-NETO, L. C. B.; BRANCHER, V. R. Dos saberes disciplinares aos saberes pedagógicos: desafios de iniciação à docência de estagiários em Ciências Biológicas. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 9, n. 3, 2019. Disponível em:http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/recm/article/view/5387 . Acesso em: 17 mai. 2021.

FANFA, M. S.; TOLENTINO-NETO, L. C. B.; TEIXEIRA, M. R. F. Os espaços de educação não formal e a licenciatura em Ciências Biológicas. Revista Cocar, v. 14, n. 30, 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3706 . Acesso em: 17 jan. 2021.

FERNANDES, M. C.; SILVA, L. M. S.; MACHADO, A. L. G.; MOREIRA, T. M. M. Universidade e a extensão universitária: a visão dos moradores das comunidades circunvizinhas. Educação em Revista, v. 28, n. 4, p. 169-194, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/edur/v28n4/07.pdf . Acesso em: 17 mar. 2021.

FONTANA, F. F.; CORDENONSI, A. Z. TDIC como mediadora do processo de ensino-aprendizagem da arquivologia. ÁGORA, Florianópolis, v. 25, n. 51, p. 101-131, jul./dez. 2015. Disponível em: https://agora.emnuvens.com.br/ra/article/view/548. Acesso em: 5 de ago. 2020.

FRIZZO, G.; MARIN, E. C.; SCHELLIN, F. O. Extensão Universitária e Formação Docente:

Contribuição e Desafios das Ações de Extensão para a Formação de Professores de Educação Física no RS. Expressa Extensão, v. 21, n. 2, p. 21-37, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/expressaextensao/article/view/7671 Acesso em: 12 dez. 2020.

GOHN, M. G. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.14, n. 50, p. 27-38, jan./mar., 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ensaio/v14n50/30405 . Acesso em :30 mar. 2021.

GOHN, M. G. Educação não formal, educador (a) social e projetos sociais de inclusão. Meta: avaliação, p. 28-43, 2009. Disponível em: https://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/metaavaliacao/article/view/1/5 . Acesso em: 30 mar. 2021.

GÜNZEL, R.; TONELLO, L. P.; MARSANGO, D.; GÜLLICH, R. I. C. Desafios e inter-relações entre ciência, ambiente e formação de professores: o PETCIÊNCIAS e a extensão universitária. Vivências, v. 16, n. 31, p. 195-208, 2020. Disponível em: http://revistas.uri.br/index.php/vivencias/article/view/197 . Acesso em: 11 jan. 2021.

GURGEL, R. M. Extensão Universitária: Comunicação ou domesticação? São Paulo: Cortez, 1986.

JACOBUCCI, D.F.C. Contribuições dos espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Revista Em Extensão, v. 7, n. 1, 5 nov. 2008. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/20390/10860 . Acesso em: 20 mai. 2021.

JEZINE, E. As Práticas Curriculares e a Extensão Universitária. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, 2004, Belo Horizonte. Anais do... Belo Horizonte, 2004, p. 1-6. Disponível em: https://www.ufmg.br/congrext/Gestao/Gestao12.pdf Acesso em: 15 mai. 2021.

MERCADO, L. P. L. Formação Docente e novas tecnologias. Novas tecnologias na educação: reflexões sobre a prática. Maceió: EDUFAL, p. 11-28, 2002. Disponível em: http://www.ufrgs.br/niee/eventos/RIBIE/1998/pdf/com_pos_dem/210M.pdf . Acesso em: 4 de ago. 2020.

RODRIGUES, A. L. L.; DO AMARAL COSTA; C. L. N.; PRATA, M. S.; BATALHA, T. B. S.; NETO, I. D. F. P. Contribuições da extensão universitária na sociedade. Cadernos de Graduação – Ciências Humanas e Sociais - UNIT, v.1, n.16, p.141-148, 2013. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/cadernohumanas/article/view/494 . Acesso em: 17 abr. 2021.

SILVA, M. S.; VASCONCELOS, S. D. Extensão universitária e formação profissional: avaliação da experiência das Ciências Biológicas na Universidade Federal de Pernambuco. Estudos em avaliação educacional, v. 17, n. 33, p. 119-136, 2006. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/eae/article/view/2130/2087 . Acesso em: 22 abr. 2021.

UFSM. Pró- reitoria de Extensão. Política de extensão da UFSM. Disponível em: http://w3.ufsm.br/pre/images/anexos-do-site/Politica.pdf . Acesso em: 10 out. 2020.

UFSM. Departamento de Biologia. Projeto Pedagógico do Curso de Biologia. Santa Maria, RS, 2019a.

UFSM. Resolução N. 003, de 11 de janeiro de 2019b. Regula a inserção das ações de extensão nos currículos dos cursos de graduação. Disponível em: https://www.ufsm.br/pro-reitorias/proplan/resolucao-n-003-2019/#:~:text=Regula%20a%20inser%C3%A7%C3%A3o%20das%20a%C3%A7%C3%B5es,%E2%80%93%20a%20Lei%20N. Acesso em: 20 mar. 2021

Publicado

2021-10-05

Como Citar

Costa, C., Drehmer-Marques, . K. C., Luz, J. M. O. da, & Tolentino-Neto, L. C. B. de . (2021). FORMAÇÃO DOCENTE E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS POR MEIO DO PROJETO "TODA CIDADE ENSINA". Vivências, 17(34), 149-165. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.538

Edição

Seção

Dossiê: Vivências de Curricularização da Extensão Universitária