PROJETO BATE CORAÇÃO E AS AVENTURAS DE GABI: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE PROMOVIDO POR ACADÊMICOS DE FARMÁCIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.533

Resumo

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma doença que cresce a cada ano, e estima-se que 600 milhões de indivíduos apresentem esta patologia. Há indícios de que a progressão desta síndrome seja consequência dos comportamentos e hábitos na infância e adolescência.  Deste modo, a ênfase na realização de ações educativas é de vital importância para que a população comece a perceber a necessidade da prevenção e da adoção de um estilo de vida saudável, com o intuito de evitar a HAS e suas complicações na idade adulta. Este trabalho teve o objetivo de ressaltar a adoção de hábitos de vida saudáveis entre a população em idade escolar, visando a prevenção da HAS através do emprego de diferentes metodologias. Sendo assim, ora apresenta-se um relato de uma ação promovida por um grupo interprofissional, com alunos e professores das áreas da saúde e do ensino em ciências, realizado em parceria com o programa PIBID Biologia. A ação de educação em saúde apresentada foi desenvolvida no contexto de um trabalho interdisciplinar envolvendo os componentes curriculares do quinto semestre do Curso de Farmácia. Dessa forma, apresenta o relato de atividade de educação interdisciplinar e interprofissional, possibilitando ao acadêmico o aprender fazendo, com uma equipe formada por professores de diferentes áreas do conhecimento.

Biografia do Autor

Cristiane de Pellegrin Kratz, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santo Ângelo, RS, Brasil

Docente do Departamento de Ciências da Saúde da URI/Campus de Santo Ângelo, RS. Mestre pelo Programa de Ciências Farmacêuticas da UFRGS.

Farmacêutica (1998) e Farmacêutica Industrial (1999) pela UFSM, Especialista em Manipulação Alopática e Manipulação Homeopática (2003) pelo TECNIFAR/PUC-PR, Mestre em Ciências Farmacêuticas pela UFRGS (2002), é docente do Departamento de Ciências da Saúde na URI/Campus de Santo Ângelo, no Curso de Farmácia. Tem experiência na área de cosméticos e medicamentos, atua também na educação em saúde especialmente através de estágios e pesquisas. Faz parte do Grupo de Pesquisa em Ciências Farmacêuticas (GPCFAR).

Briseidy Marchesan Soares, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santo Ângelo, RS, Brasil

Docente do Departamento de Ciências Biológicas da URI - Campus Santo Ângelo. Mestre pelo Programa de Biociências  da Pontificia Universidade Catolica/RS.

Graduação em Ciências Físicas e Biológicas pela Universidade de Cruz Alta (1986), graduação em Biologia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1988) e mestrado em BIOCIÊNCIAS pela PONTIFICIA UNIVERSIDADE CATOLICA DO RS (2001). Atualmente é professor titular da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - Campus Santo Ângelo. Tem experiência na área de Biologia Celular, Embriologia, Zoologia, Parasitologia e Prática de Ensino de Ciências e Biologia.

Andressa Dias, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santo Ângelo, RS, Brasil

Farmacêutica responsável técnica da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município de Santo Ângelo/RS; Farmacêutica pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)/Campus de Santo Ângelo

 Graduada em Farmácia pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (2020), atualmente é farmacêutica responsável técnica da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município de Santo Ângelo/RS e da Cooperativa de Consumo das Missões (COOPEMISSÕES), afiliada do grupo UNIMED.

Referências

BARROS, E. R.; LIMA, R. M. L. Prevalência e Características do Tabagismo entre Universitários de Instituições Públicas e Privadas da Cidade de Campos dos Goytacazes. Revista Vértice, v. 13, n. 3, p. 93-116, 2011. DOI:10.5935/1809-2667.20110027

BATISTA, N.A. Educação Interprofissional em Saúde: Concepções e Praticas. Caderno FNEPAS, v. 2, n.1, p.25-28, 2012. Disponível em: http://fnepas.org.br/artigos_caderno/v2/educacao_interprofissional.pdf. Acesso em: 20 mai. 2020.

BOHN, R.; GHELLAR, C.; OLIVEIRA, T.B.; KRATZ, C.P. Teatro como ferramenta de educação em saúde com foco no diabetes mellitus em escolas do município de Santo Ângelo, RS. Ensino de Ciências e Tecnologia em Revista, v.5, n.2, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/315655568_TEATRO_COMO_FERRAMENTA_DE_EDUCACAO_EM_SAUDE_COM_FOCO_NO_DIABETES_MELLITUS_EM_ESCOLAS_DO_MUNICIPIO_DE_SANTO_ANGELO_RS_THEATRE_AS_A_TOOL_FOR_HEALTH_EDUCATION_WITH_FOCUS_ON_DIABETES_MELLITUS_AT_DISTRICT_. Acesso em: 26 mai. 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Assistência Farmacêutica no SUS. Brasília, DF: CONASS, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Cadernos de Atenção Básica: Saúde na escola. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. VIGITEL Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e

BRASIL. Ministério da Saúde. Hipertensão arterial sistêmica para o Sistema Único de Saúde. Cadernos de Atenção Básica: Normas e Manuais Técnicos. Brasília, DF: 2006.

BRASIL. Organização Pan America de Saúde /Organização Mundial da Saúde. Doenças Cardiovasculares. [Internet]. 2016. Disponível em: http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5253:doena

CECCHETTO, F.H.; PENA, D.P.; PELLANDA, L.C. Intervenções Lúdicas Aumentam o Conhecimento sobre Hábitos Saudáveis e Fatores de Risco Cardiovasculares em Crianças: Estudo Clínico Randomizado CARDIOKIDS. Arquivo Brasileiro de Cardiologia, v. 109, n.3, p.192-199, 2017. DOI: https://doi.org/10.5935/abc.20170107

COELHO, L.G.; CÂNDIDO, A.P.; MACHADO, G.L.; FREITAS, S.N. Association between nutritional status, food habits and physical activity level in schoolchildren. Jornal de Pediatria, v. 88, n. 5, p. 406-12, 2012. DOI: 10.2223/JPED.2211

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. O farmacêutico na assistência farmacêutica do SUS: diretrizes para ação. Brasília, DF: Conselho Federal de Farmácia, 2015. Disponível em: https://www.cff.org.br/userfiles/file/livro.pdf. Acesso em: 23 mai. 2017.

GASPAROTTO, G. S.; GASPAROTTO, L. P. R..; SALLES, M. R.; CAMPOS, W.C. Fatores de risco cardiovascular em universitários: comparação entre sexos, períodos de graduação e áreas de estudo. Revista de Medicina de Ribeirão Preto, v. 46, n. 2, p. 154-63, 2013. DOI: 10.11606/issn.2176-7262.v46i2p154-163

GBD. Causes of Death Collaborators. Global, regional, and national age-sex specific mortality for 264 causes of death, 1980- 2016: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study. Lancet. v. 39, p. 1151-210, 2017.

GOMES, B.M. R.; ALVES, J. G.B. Prevalência de hipertensão arterial e fatores associados em estudantes de Ensino Médio de escolas públicas da Região Metropolitana do Recife. Caderno de Saúde Pública, v. 25, n. 2, p. 375-381, 2009. DOI: 10.1590/S0102-311X2009000200016

JAMES J.A.; ROVERS J.P. Wellness and health promotion. In: Rovers JP, et al. A practical guide to pharmaceutical care. American Pharmaceutical Association, Washington, p.183-200, 2003. DOI: 10.1345/aph.1k223

LABRADA, L.Y. Plano de intervenção para alcançar a adesão adequada ao tratamento de pacientes com hipertensão arterial na unidade de saúde da família São Pedro de Avaí - Minas Gerais. Universidade Federal De Minas Gerais, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/31715/1/TCC%20WAMILET%20FINAL%20POS%20BANCA%20%286%29.pdf . Acesso em: 27 mai. 2021.

MAGALHÃES, M.E.C.; BRANDÃO, A.A.; POZZAN, R.; BRANDÃO, A.P. Hipertensão arterial em crianças e adolescentes. Revista Brasileira de Hipertensão, v.9, n. 3, p. 245-255, 2002. Disponível em: http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/9-3/hipertensaocriancas.pdf. Acesso em: 13 mar.2018.

MENEZES, A. G. M. P.; GOBBI, D. Educação em saúde e Programa de Saúde da Família: atuação da enfermagem na prevenção de complicações em pacientes hipertensos. O Mundo da Saúde, v. 34, n.1, p. 97-102, 2010. Disponível em: http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/74/13_revisao_Educacao.pdf. Acesso em: 10 abr. 2017.

MOHAN, M.D.S.; NORM, R.C.; CAMPBELL, M.D.; WILLIS, K. Effective population-wide public health interventions to promote sodium reduction. Canadian Medical Association or its licensors, v. 181, n.9, p. 605–609, 2009. DOI: 10.1503/cmaj.090361

MUENCHEN, C.; DELIZOICOV, D. Os três momentos pedagógicos e o contexto de produção do livro “Física”. Bauru: Ciência Educacional, v. 20, n. 3, p. 617-638, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1516-73132014000300007

National High Blood Pressure Education Program (NHBPEP) Working Group on High Blood Pressure in Children and Adolescents. The Fourth Report on the Diagnosis, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure in Children and Adolescents. Pediatrics, v. 114, p. 555-76, 2004. Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/files/docs/resources/heart/hbp_ped.pdf. Acesso em: 10 jun. 2017.

PEREIRA, F.E.F.; TEIXEIRA, F.C.; RAUSCH, A. P. S.B.; RIBEIRO, B. G. Prevalência de hipertensão arterial em escolares brasileiros: uma revisão sistemática. Rio de Janeiro: Nutricion clinica y dietética hospitalaria, v. 36, n. 1, p. 85-93, 2016. DOI: 10.12873/361pereira

proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2016.

REILLY, J.J.; KELLY J. Long-term impact of overweight and obesity in childhood and adolescence on morbidity and premature mortality in adulthood: systematic review. Internacional Journal of Obesity, v. 35, n.7, p. 891-8, 2011. DOI: 10.1038/ijo.2010.222

RIBEIRO, A.G.; COTTA, R.M.M.; RIBEIRO, S.M.R. A Promoção da Saúde e a Prevenção Integrada dos Fatores de Risco para Doenças Cardiovasculares. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 17, n.1, p. 7-17, 2012. DOI: 10.1590/S1413-81232012000100002

SALGADO, C.M.; CARVALHAES, J.A.T. Hipertensão arterial na infância. Jornal de Pediatria, v. 79, supl. 1, p. S115-S124, 2003. DOI: 10.1590/S0021-75572003000700013

scardiovasculares&catid=845:noticias&Itemid=839. Acesso em: 23 mai. 2017.

SILVA, L.D.C.; MENDES, F.P.B.; RABELO, P.P.C.; DIAS, R.S. Intervenções de Saúde Para o Controle os Fatores de Risco Cardiovascular Entre Universitários. Rede de Cuidado em Saúde, v.10, n.1, 2017. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/rcs/article/view/3337/2186. Acesso em: 23 fev. 2020.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA (SBC). Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial-2020. Arquivo Brasileiro de Cardiologia: v. 116, n. 3, 2021. Disponível em: http://abccardiol.org/wp-content/uploads/articles_xml/0066-782X-abc-116-03-0516/0066-782X-abc-116-03-0516.x14831.pdf. Acesso em: 23 fev. 2020.

VIEIRA, F.S. Ministério da Saúde. Possibilidades de contribuição do farmacêutico para a promoção da saúde. Ciênc. saúde coletiva, v. 12, n. 1, 2007.

Publicado

2021-10-05

Como Citar

Pellegrin Kratz, C. de, Marchesan Soares, B., & Dias da Silva, A. (2021). PROJETO BATE CORAÇÃO E AS AVENTURAS DE GABI: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE PROMOVIDO POR ACADÊMICOS DE FARMÁCIA. Vivências, 17(34), 213-226. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.533

Edição

Seção

Dossiê: Vivências de Curricularização da Extensão Universitária