OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS), CIDADES EDUCADORAS E A CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO

UMA ABORDAGEM INTEGRADA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.529

Resumo

Resumo: Neste artigo, apresenta-se uma abordagem integrada entre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a concepção das Cidades Educadoras como temas que possibilitam a curricularização da extensão do ensino universitário. Tem-se, como principal objetivo, a descrição das aproximações teóricas entre os ODS, especialmente os de número quatro (4), onze (11) e dezessete (17), e a Carta das Cidades Educadoras, como temas mediadores da curricularização da extensão na educação superior. Busca-se também contextualizar historicamente a extensão e seus desdobramentos no cenário nacional, por meio de um estudo de natureza exploratória, realizado com base na pesquisa documental e bibliográfica. Defende-se que é preciso conceber a curricularização da extensão a partir das relações entre aprendizagem e territórios, que podem se tornar, intencionalmente, educativos e pedagógicos para a “tradução” dos ODS na realidade de cada cidade.

Biografia do Autor

Noemi Boer, Universidade Franciscana, Santa Maria, RS, Brasil

Doutora em Educação Científica e Tecnológica. Docente do Mestrado em Ensino de Humanidades e Linguagens (MEHL). E-mail: noemiboer@gmail.com.

Marcio Tascheto, Universidade Franciscana, Santa Maria, RS, Brasil

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Maria/UFSM (2002), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria/UFSM (2005) , Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS (2016) e pós-doutorado em Memória Social e Patrimônio Cultural pela Universidade Federal de Pelotas/UFPEL (em andamento). Atuou como professor de História no Ensino Médio na Escola de Educação Básica Educar-se/UNISC (2003 a 2008), na Escola São João La Salle (2004), como consultor da Unesco (2009), como consultor da Organização dos Estados Ibero-americanos/OEI (2010), como consultor no Ministério da Educação na Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade/SECAD/MEC (2009 e 2010), como professor na Universidade Católica de Brasília/UCB (2010), como Assessor de Projetos Institucionais da Universidade de Passo Fundo/UPF (2010) como professor da Universidade de Passo Fundo/UPF, no Curso de Pedagogia (2011-2018), como Coordenador da Divisão de Extensão da Universidade de Passo Fundo/UPF (2012-2019) , como Coordenador do Programa UniverCidade Educadora UPF (2016-2019). Atualmente atua como professor e pesquisador do Curso de História e no Mestrado em Humanidades e Linguagens/MEHL da Universidade Franciscana/UFN nos projetos Leituras Contemporâneas do Espaço Urbano de Santa Maria/RS e Pedagogias Urbanas: O Potencial Educativo da Cidade para o Ensino de Humanidades, como assessor da Vice-Reitoria de Extensão da Universidade de Passo Fundo/UPF, como Coordenador do Projeto Hospedaria da Arte, Coordenador dos sub-projetos UniverCidade Educadora UFN e Ateliê Pedadgógico, Membro do Movimento Brasileiro de Cidades Educadoras/SP e da Rede de Universidades por Cidades que Educam, Avaliador de Tecnologias de Educação Integral na Secretaria de Educação Básica/SEB/MEC, Membro do grupo de editoria da revista Lugar Comum/UFRJ, pesquisador do grupo de pesquisa Arte, Corpo, Ensigno CNPQ/CAPES, pesquisador da rede Universidade Nômade.

Referências

AUTOR 1 e outo, 2018

AUTOR 1 e outros, 2019

AUTOR 1 e outro, 2020.

AUTOR 2, 2021.

AUTOR 2 e outro, 2018.

AUTOR 2 e outros, 2018

CARTA DAS CIDADES EDUCADORAS. Associação Internacional das Cidades Educadoras. 2020 Barcelona, Esp., 2020.

BOTOMÉ, P. S. Pesquisa alienada e ensino alienante: o equívoco da extensão universitária. Petrópolis, RJ: Vozes,1996.

BRASIL. Lei 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE 2014-2024. 2018a. Diário Oficial da União, S. 1, p. 1. Edição extra. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm. Acesso em: 25 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES Nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira [...] e dá outras providências. Diário Oficial da União, S.1, p. 49-50, 2018b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=104251-rces007-18&category_slug=dezembro-2018-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 06 maio 2021.

COMISSÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. 2. ed. Fundação Getúlio Vargas: Rio de Janeiro, Brasil, 1991.

DAHER, V. A Fiocruz diante da Covid-19. Entrevistada: Nísia Trindade Lima. Ciência Hoje, Rio de Janeiro, ed. 365, p. 6-9, maio 2020.

DUEÑAS, R. O; MARTÍNEZ, L. F. P. Estado de la formación del profesor como investigador y configuración de colectivos interesados en tal desarrollo a partir del abordaje de cuestiones sociocientíficas. Revista Vivências, Erechim, v. 17, n. 32, p. 9-30, jan./jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i32.383. Disponível em: Downloads/383-Texto%20do%20Artigo-1004-1-10-20201214%20(1).pdf. Acesso em: 21 abr. 2021.

EDWARDS, B. O guia básico para a sustentabilidade. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2008.

FLICK, U. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, P. À sombra desta mangueira. São Paulo: Ed. Olho Dágua, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 65. ed. Rio de Janeiro//São Paulo: Paz e Terra, 2018.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. rev. atual. São Paulo: Atlas, 2019

GOHN, M. da. G. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010. (Coleção questões da nossa época, v.01).

LIMA, G.F.C. Educação, sustentabilidade e democracia: explicando a diversidade de projetos políticos-pedagógicos. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 20, p. 67-75, 2009.

LEFEBVRE, H. A revolução urbana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008.

MANIFESTO DE CÓRDOBA. 2018. Disponível em: https://manifiestodecordoba1918.blogspot.com/2008/03/reforma-universitria-de-1918-da.html. Acesso em: 23 abr. 2021.

MARICATO, E. Para entender a crise urbana. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MATTIOLI, A. V. et al. Quarentena durante o surto de COVID-19: mudanças na dieta e na atividade física aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Nutr. Metab Cardiovasc Dis. , v. 30, n. 9, p. 1409-1417, 2020. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7260516/. Acesso em: 9 maio 2021.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Transformando nosso mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, 2015. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/. Acesso em: 27 abr. 2021.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Educação para os objetivos do desenvolvimento sustentável: objetivo de aprendizagem. 2017. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000252197?posInSet=3&queryId=95c46838-375f-4c4a-90f6-e394fd51d2fd. Acesso em: 03 abr. 2021.

RAYS, O. A. Ensino, pesquisa e extensão: notas para pensar a indissociabilidade. Santa Maria, 2003. Digitado.

RIBEIRO, D. A Universidade necessária. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

TEIXEIRA, A. A educação não é privilégio. 7. ed. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2007.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. 2. ed. São Paulo: Vértice, 2002.

SANTOS, B. de S. A Universidade no Século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. São Paulo: Cortez, 2011.

SILVA, A. F. C. da. Ponto de ruptura? Ciência Hoje, Rio de Janeiro, ed. 365, p. 36-42, maio, 2020.

STEIGLEDER, L. I.; ZUCCHETTI, D. T.; MARTINS, R. L. Trajetória para a curricularização da extensão universitária: atuação do FOREXT e Diretrizes Nacionais. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 10, n. 3, p. 167-174, set./dez. 2019. Disponível em: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RBEU/article/view/10916. Acesso em: 10 maio 2021.

UNESCO. Learning: the treasure within; report to UNESCO of the International Commission on Education for the Twenty­first Century (highlights). Paris: UNESCO, 1996.

VILELA JUNIOR, G. B. et al. Aspectos epidemiológicos da Covid-19: uma revisão sistemática. Revista CPAQV-Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida, v. 12, n. 2, p. 1-16, 2020. Disponível em: http://www.cpaqv.org/revista/CPAQV/ojs-2.3.7/index.php?journal=CPAQV&page=article&op=view&path%5B%5D=442 Acesso em: 09 maio 2021.

Publicado

2021-10-05

Como Citar

Boer, N., & Silva, M. . T. da . (2021). OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS), CIDADES EDUCADORAS E A CURRICULARIZAÇÃO DA EXTENSÃO: UMA ABORDAGEM INTEGRADA. Vivências, 17(34), 167-182. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.529

Edição

Seção

Dossiê: Vivências de Curricularização da Extensão Universitária