UNIVERSIDADE E A INICIATIVA PRIVADA: NA DIFUSÃO DO CONHECIMENTO ATRAVÉS DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

Autores

  • Vitor Cauduro Girardello Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Santo Ângelo, RS, Brasil
  • Antonio Vanderlei dos Santos Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Santo Ângelo, RS, Brasil http://orcid.org/0000-0001-8294-2787
  • Giselda Aparecida Ghislene Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Santo Ângelo, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0002-2815-9633
  • Marcelo Paulo Stracke Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Santo Ângelo, RS, Brasil https://orcid.org/0000-0002-3965-519X

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.511

Resumo

A extensão universitária potencializa a interação com a comunidade, apresentando os avanços nos campos de ensino e pesquisa para a população que não possui acesso as informações. O nosso trabalho justifica-se pela aplicabilidade local e regional, atingindo o objetivo final da extensão universitária. Foram desenvolvidos experimentos científicos de interesse agrícola na área experimental agronômica da URI Santo Ângelo com a participação de alunos, professores e da iniciativa privada. Os experimentos foram desenvolvidos nos anos de 2018/19 e repetidos no ano de 2019/20. O objetivo do trabalho foi realizar o levantamento da compactação do solo causado por máquinas agrícolas com diferentes intensidades através de uma prática de extensão curricular. A metodologia do experimento consiste em estudar de forma experimental a resistência do solo a penetração, densidade do solo, determinação de massa seca e produtividade das cultas da soja e do milho. Os resultados obtidos foram apresentados em um dia de campo de abrangência regional, no congresso brasileiro de ciência do solo de abrangência internacional, além de ser utilizados nas aulas do curso de agronomia nas disciplinas de física morfologia gênese do solo, máquinas e equipamentos agrícolas I e II. A participação da empresa privada foi através do planejamento e empréstimo das máquinas envolvidas neste projeto, além da promoção de palestras para os seus clientes sobre o assunto estudado. Com este formato de parceria foi possível realizar de forma exitosa a extensão universitária envolvendo os alunos, professores e a iniciativa, aumentando assim o leque de difusão do conhecimento gerado.

Biografia do Autor

Antonio Vanderlei dos Santos, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Santo Ângelo, RS, Brasil

Doutor em Ciências. Professor e Pesquisador na Pós-graduação em Gestão Estratégica de Organizações e Ensino Científico e Tecnológico

Giselda Aparecida Ghislene, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Santo Ângelo, RS, Brasil

Mestre em Desenvolvimento. Professora dos cursos de Agronomia, Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo.

Marcelo Paulo Stracke, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, URI, Santo Ângelo, RS, Brasil

Doutor em Química. Professor curso de Engenharia Química

Referências

CAMARGO, O.A.; ALLEONI, L.R.F. Compactação do solo e o desenvolvimento das plantas. Piracicaba Esalq, 1997. 132p. Disponível em: <http://www.infobibos.com/Artigos/CompSolo/Comp1.htm>. Acesso em: abril de 2021.

CURI, N. et al. Vocabulário da ciência do solo. Campinas, Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1993. 90p.

DODE, L. B. et al. Microverdes: cultivo doméstico na promoção da saúde e bem-estar. Expressa Extensão. v. 26, n. 1, p. 172-181, JAN-ABR, 2021. https://doi.org/10.15210/ee.v26i1.19664.

EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS. EMATER- MG. Metodologia participativa de extensão rural para o desenvolvimento sustentável. Minas Gerais, 2006.

EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. EMATER-RS. Métodos e meios de comunicação em extensão rural – Glossário. Porto Alegre, 2009.

FRANÇA, A. P. de. Metodologia de extensão rural: dia de campo. Recife: EMATER-PE/DECOM, 1993. (EMATER-PE. Comunicação e Metodologia de Extensão Rural, 2).

FREDDI, O. da S. et al. Compactação do solo e produção de cultivares de milho em Latossolo Vermelho. I – Características de planta, solo e índice S. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 33:793-803, 2009. https://doi.org/10.1590/S0100-06832009000400005.

FREITAS, L.A., 2015. Atributos físicos e químicos do solo e desempenho agronômico da cultura da soja submetido a sistemas de manejos e residual de gesso. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Engenharia. 50f.

FOLONI, J. S. S.; LIMA, S. L. de; BÜLL, T. Crescimento aéreo e radicular da soja e de plantas de cobertura em camadas compactadas de solo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.30, p.49-57, 2006.

HORN, R.; ROSTEK, J. Subsoil compaction processes - state of knowledge. In: HORN, R.; VAN DEN AKKER, J. J.H.; ARVIDSSON, J. (Ed.). Subsoil compaction: distruibution, processe and consequences. Reiskirchen: Catena Verlang, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9103-estimativas-de-populacao.html?=&t=o-que-e, 2020. Acesso em: dez. 2020.

JORAJURIA, C. D. Reologia del suelo agrícola bajo tráfico: modificaciones fisicomecánicas del suelo vinculadas a la compactación debida de tráfico agrário, Universidad Nacional de La Plata, 160p. 2005.

LACERDA, W. P. de. A extensão universitária e o desenvolvimento regional. In: III Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Gestão de desenvolvimento regional, Taubaté, p. 1-14, 3 jun. 2016.

NUNES, R. K. S. et al. Desafios e adaptações da extensão universitária em tempos de pandemia: relato de experiência. Revista Ciência Plural, v.7, n.1, p. 211-223, 2021. https://doi.org/10.21680/2446-7286.2021v7n1ID23003.

SANTOS, A. D. dos. et al. Extensão universitária como mecanismo de desenvolvimento regional. Revista de Extensão da UNESC, v. 5, n. 1, 2020. http://dx.doi.org/10.18616/re.v5i1.6498

SERRANO, R. M. S. M. Conceitos de extensão universitária: um diálogo com Paulo Freire. João Pessoa: UFPB/PRAC, 2010. Disponível em: http://www.prac.ufpb.br/copac/extelar/atividades/discussao/artigos/conceitos_de_extensao_universitaria.pdf. Acesso em março, 2021.

SILVA, F. A. S.; AZEVEDO, C. A. V. Principal Components Analysis in the Software Assistat-Statistical Attendance. In: WORLD CONGRESS ON COMPUTERS IN AGRICULTURE, 7, Reno-NV-USA: American Society of Agricultural and Biological Engineers, 2009.

SILVA, O. O que é Extensão Universitária? E cientifico Cultural, In: II Simpósio Multidisciplinar "A Integração Universidade-Comunidade". Integração ensino/ pesquisa/ extensão, III (9). Maio 1997. Disponível em: https://www.ecientificocultural.com/ECC3/oberdan9.htm Acesso em: feb, 2021.

TAVARES FILHO, J.; TESSIER, D. Compressibility of Oxisol aggregates under no-till in response to soil water potential. Revista Brasileira de Ciência do Solo, vol.33, n.6 p.1525-1533, 2009. https://doi.org/10.1590/S0100-06832009000600002.

SUZUKI, L. E. A. S. et al. Grau de compactação, propriedades físicas e rendimento de culturas em latossolo e argissolo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, vol. 42, n.8, p.1159-1167. 2007. https://doi.org/10.1590/S0100-204X2007000800013.

Publicado

2021-10-05

Como Citar

Girardello, V. C., Santos, A. V. dos, Ghislene, G. A. ., & Stracke, M. P. (2021). UNIVERSIDADE E A INICIATIVA PRIVADA: NA DIFUSÃO DO CONHECIMENTO ATRAVÉS DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA . Vivências, 17(34), 71-84. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i34.511

Edição

Seção

Dossiê: Vivências de Curricularização da Extensão Universitária