O "MAL-ESTAR" DA DÍVIDA

UMA REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO ENDIVIDAMENTO PARA CONSUMIDORES DE BAIXA RENDA

Autores

  • Thiago De Paula Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1563-2823
  • Verónica Peñaloza Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil http://orcid.org/0000-0003-2034-0179
  • Isadora Morais Duarte de Vasconcelos Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil
  • Márcio Cesar Rocha Sousa Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i33.448

Resumo

O endividamento revela-se como um fenômeno multifacetado, cujas repercussões extrapolam a esfera econômica, sendo responsável por forjar as subjetividades individuais, os modos de expressão e as práticas cotidianas dos sujeitos. Destarte, o presente estudo teve como objetivo apreender a representação social do constructo do endividamento para consumidores pertencentes à baixa renda, buscando identificar os significados que a ela subjazem. Para a obtenção dos propósitos dessa pesquisa, foram realizadas 194 entrevistas estruturadas de curta duração, analisadas a partir da técnica de evocação livres de palavras e do método Alceste mediante o uso do software IRAMUTEQ. Como resultado, verificou-se que o endividamento se revela enquanto fenômeno multifacetado com uma multiplicidade de atributos que concorrem à representação do seu conceito, transcendendo a compreensão puramente racionalista da lógica econômico-financeiro. Sucintamente, os sujeitos estruturam sua representação do endividamento em dois polos organizadores principais, expressados através de um elemento estrutural – a qual possui origem no arranjo socioeconômico geral – e de seu inter-relacionamento ao contexto individual. Nesse sentido, o fenômeno do endividamento apresenta repercussões subjetivas aos sujeitos, refletidas na organização das práticas do cotidiano, gerando, assim, um conjunto de obrigações financeiras individualizantes que resultam, sobretudo, em consequências emocionais prejudiciais aos mais pobres.

Biografia do Autor

Thiago De Paula, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil

Mestrando em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Verónica Peñaloza, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil

Doutora em Economia pela Universidade de São Paulo (USP). Professora do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Estadual do Ceará (PPGA/UECE) - Fortaleza (CE), Brasil

Isadora Morais Duarte de Vasconcelos, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil

Mestranda em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Márcio Cesar Rocha Sousa, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil

Mestrando em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Referências

ADIMARK, S. El nivel socioeconómico ESOMAR: Manual de aplicación. Santiago, Chile: Autor, 2000.

BAUMAN, Z. Vida a crédito. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010b.

BAUMAN, Z. Capitalismo parasitário: e outros temas contemporâneos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010a.

BAUDILLARD, J. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. 2ª Ed. Porto Alegre: Zouk, 2011.

CARVALHO, H. A.; GERHARD, F. G. P.; PEÑALOZA, V. Representação social do endividamento individual. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 11, n. 1, p. 100-115, 2017.

COMISIÓN ECONÓMICA PARA AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE (CEPAL). Las cuentas de los hogares y el bienestar en América Latina: Más allá del PIB. Cuadernos Estadístivos, n. 44, 2016. Disponível em: <https://www.cepal.org/es/publicaciones/40174-cuentas-hogares-bienestar-america-latina-mas-alla-pib>. Acesso em: 15 jun. 2020.

DEAN, L. R.; JOO, S. H.; GUDMUNSON, C. G.; FISCHER, J. L.; LAMBERT, N. Debt begets debt: Examining negative credit card behaviors and other forms of consumer debt. Journal of Financial Service Professionals, v. 67, n. 2, p. 72, 2013.

DELEUZE, G. Conversações. São Paulo: Ed. 34, 2008

FONTENELLE, I. A. Cultura do consumo: fundamentos e formas contemporâneas. São Paulo: FGV Editora, 2017.

GARBER, G.; MIAN, A.; PONTICELLI, J.; SUFI, A. Household debt and recession in Brazil. National Bureau of Economic Research Working paper no. 25170, Cambridge, MA, 2018. Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2020.

GRAEBER, D. Dívida: os primeiros 5.000 anos. São Paulo: Três Estrelas, 2016.

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman Editora, 2009.

HARDT, M.; NEGRI, A. Declaração: Isto não é um manifesto. São Paulo: n-1 Edições, 2014.

HENNIGEN, I. Superendividamento dos consumidores: uma abordagem a partir da Psicologia Social. Revista Subjetividades, v. 10, n. 4, p. 1173-1201, 2016.

HENNIGEN, I. Endividado, devo: Governo da vida pelas finanças. Fórum Linguístico, v. 16, n. 3, p. 3953-3965, 2019.

HENNIGEN, I; BORGES, J. Estigma moral e sofrimento psi: problematizando a individualização do superendividamento do consumidor. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 14, n. 1, p. 214-238, 2014.

HENNIGEN, I.; GEHLEN, G. Com a “vida” no vermelho: psicologia e superendividamento do consumidor. Pesquisas e Práticas Psicossociais, v. 7, n. 2, p. 290-298, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Síntese de indicadores sociais: uma análise de condições de vida da população brasileira. 2018. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101629.pdf>. Acesso em 05 mai. 2020.

KALAMPALIKIS, N. L’apport de la méthode Alceste dans l’analyse des représentations sociales. In: ABRIC, J. C. (Org.). Méthodes d'étude des représentations sociales. Ramonville Saint-Agne: Erès, 2003, p. 147-163.

LAZZARATO, M. Sobre a crise: finanças e direitos sociais (ou de propriedade). Lugar Comum, v.27, p.83-90, 2009.

LAZZARATO, M.O governo do homem endividado. São Paulo: n-1 Edições, 2017.

LIPOVETSKY, G. A felicidade paradoxal: ensaios sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

LÓPEZ, F. G. Crédito, deuda y gubernamentalidad financiera en Chile. Revista mexicana de sociología, v. 80, n. 4, p. 881-908, 2018.

LUXEMBURGO, A. R. Acumulação do Capital: contribuição ao estudo econômico do imperialismo. São Paulo: Nova Cultural,1985.

MOSCOVICI, S. O fenômeno das representações sociais. In: MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010, p. 29‐109.

NIETZSCHE, F. Genealogia da moral: uma polêmica. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PEÑALOZA, V.; GERHARD, F.; CARVALHO, H. A.; DENEGRI, M. C. Representaciones Sociales del endeudamiento del consumidor, diferencias por género, edad, grupos de renta. Polis. Revista Latinoamericana, v. 54, 2019.

PONCHIO, M. C; ARANHA, F. Necessidades, vontades e desejos: a influência do materialismo sobre a dívida de consumo dos paulistanos de baixa renda. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 31., 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

REGO, W. L.; PINZANI, A. Vozes do Bolsa Família: Autonomia, dinheiro e cidadania. São Paulo: Editora Unesp, 2ª Ed., 2014.

RETONDAR, A. M. A (re)construção do indivíduo: a sociedade de consumo como “contexto social” de produção de subjetividades. Sociedade e estado, v. 23, n. 1, p. 137-160, 2008.

RIBEIRO, R. F.; LARA, R. O endividamento da classe trabalhadora no Brasil e o capitalismo manipulatório. Serviço Social & Sociedade, v. 126, 340-359, 2016.

RIUS, A.; ROMÁN, C. Consumo y crecimiento en América Latina y el Caribe: las luces del bienestar y las sombras de la sostenibilidad. Serie Documentos de Trabajo del Instituto de Economía, no. 10/15, 2015. Disponível em: <http://www.iecon.ccee.edu.uy/dt-10-15-consumo-y-crecimiento-en-america-latina-y-el-caribe-las-luces-del-bienestar-y-las-sombras-de-la-sostenibilidad/publicacion /499/es/>. Acesso em: 17 jun. 2020.

ROCHA, A.; SILVA, J. (2008). Inclusão social e marketing para a base da pirâmide: uma agenda de pesquisa. RAE–Eletrônica, v. 7, n. 2, 2008.

RUIZ-TAGLE, J.; GARCÍA, L.; MIRANDA, A. Proceso de endeudamiento y sobreendeudamiento de los hogares en Chile. Documentos de Trabajo del Banco Central del Chile, no. 703, 2013. Disponível em: <https://www.bcentral.cl/contenido/-/detalle/proceso-de-endeudamiento-y-sobre-endeudamiento-de-los-hogares-en-chile-4>. Acesso em: 18 jun. 2020.

SCIRÉ, C. D. “Financeirização da pobreza”: Crédito e endividamento no âmbito das práticas populares de consumo. Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política, v. 20, n. 1, 2011

SCIRÉ, C. D. Consumo popular, fluxos globais: práticas, articulações e artefatos na interface entre a riqueza e a pobreza. 2009. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. Programa de pós graduação do departamento de sociologia da faculdade de filosofia, letras e ciências humanas, mestre em sociologia. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8132/tde-29092009104310/pt-br.php>. Acesso em 25 mai. 2020.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2010.

SEN, A. Well-being, agency and freedom: The Dewey lectures 1984. The journal of philosophy, v. 82, n. 4, p. 169-221, 1985.

SISTEMA DE PROTEÇÃO AO CLIENTE (SPC). Inadimplentes brasileiros 2018: perfil e comportamento frente às dívidas. 2019. Disponível em: <https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas/pesquisas/filtro/tema/perfil-do-inadimplente>. Acesso em: 02 jun. 2020.

TAPIA, A. M. Endeudamiento “saludable”, empoderamiento y control social. Polis. Revista Latinoamericana, n. 49, 2018.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2008.

WACHELKE, J.; WOLTER, R. Critérios de construção e relato da análise prototípica para representações sociais. Psicologia: teoria e pesquisa, v. 27, n. 4, p. 521-526, 2011.

WORLD BANK. Poverty and shared prosperity 2018: Piecing together the poverty puzzle. Washington, DC: World Bank, 2018.

ZORDAN, P. B. M. B. G.; SILVA, M. T. Figuras da crise: cidades e educação. Revista Brasileira de Educação, v. 23, 2018.

Publicado

2021-06-21

Como Citar

De Paula, T., Peñaloza, V., Vasconcelos, I. M. D. de, & Sousa, M. C. R. (2021). O "MAL-ESTAR" DA DÍVIDA: UMA REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO ENDIVIDAMENTO PARA CONSUMIDORES DE BAIXA RENDA. Vivências, 17(33), 121-138. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i33.448

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO