AUMENTO DA VELOCIDADE DE SEMEADURA ALTERA A DISTRIBUIÇÃO DE PLANTAS DE CANOLA

Autores

  • Eduarda Grün Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil
  • Arícia Ritter Corrêa Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.
  • Joanei Cechin niversidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR, Brasil
  • Thomas Newton Martin Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i33.420

Resumo

A canola (Brassica napus L. var oleífera) é uma cultura alternativa de inverno para rotação, cuja plantabilidade pode ser afetada pela velocidade de semeadura. O objetivo da pesquisa foi avaliar os efeitos da velocidade de semeadura na distribuição de plantas e produtividade da canola. O experimento de campo foi conduzido no ano de 2017 em delineamento experimental de blocos ao acaso com quatro repetições. A cultivar de canola Hyola 61 foi utilizada na semeadura realizada em cinco velocidades de distribuição (2,0; 2,9; 5,3; 7,8; 9,2 km h-1), em fileiras espaçadas a 45 cm e ajustado para distribuir 18 plantas m-1. As variáveis analisadas foram número de plantas m-2, relação entre a população real e a população de referência, espaçamentos múltiplos, aceitáveis e falhos, média das distâncias entre plantas, precisão de distribuição e produtividade de grãos. O aumento da velocidade de semeadura proporcionou maior desuniformidade de distribuição com aumento de espaços falhos e múltiplos bem como redução na percentagem de espaçamentos aceitáveis. A semeadura na velocidade entre 2,0 a 5,3 km h-1 foi considerada satisfatória para proporcionar melhor uniformidade e distribuição das plantas na fileira. A precisão e a produtividade da canola não foram afetadas pelo aumento da velocidade de semeadura. Assim, a qualidade da semeadura da canola depende do ajuste da velocidade de distribuição das sementes.

Biografia do Autor

Eduarda Grün, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil

Graduanda do Curso de Agronomia. E-mail:

Arícia Ritter Corrêa, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.

Graduanda do Curso de Agronomia.

Joanei Cechin, niversidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR, Brasil

Doutor em Fitossanidade. Professor Colaborador no Curso de Agronomia.

Thomas Newton Martin, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.

Doutor em Fitotecnia. Professor Adjunto do Departamento de Fitotecnia

Referências

BANDEIRA, T. P.; CHAVARRIA, G.; TOMM, G. O. Desempenho agronômico de canola em diferentes espaçamentos entre linhas e densidades de plantas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 48, n. 10, p. 1332-1341, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2013001000004. Acesso em: 8 ago. 2020.

BATTISTI, R. et al. Dinâmica floral e abortamento de flores em híbridos de canola e mostarda castanha. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 48, n. 2, p. 174-181, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2013000200007. Acesso em: 12 ago. 2020.

BERTELLI, G. A. et al. Plantability performance of pneumatic seeders in the soybean culture implantation in the Piaui cerrado-Brasil. Applied Research & Agrotechnology, v. 9, n. 1, p. 91-103, 2016. DOI: https://doi.org/10.5935/PAeT.V9.N1.10. Acesso em: 28 ago. 2020.

BOTTEGA, E. L. et al. Diferentes dosadores de sementes e velocidades de deslocamento na semeadura do milho em plantio direto. Pesquisa Agropecuária Pernambucana, v. 22, n. u, 2017. DOI: https://doi.org/10.12661/pap.2017.014. Acesso em: 15 set. 2020.

BRANDELERO, E. M. et al. Seeder performance under different speeds and its relation to soybean cultivars yield. Journal of Agronomy, v. 14, n. 3, p. 139, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.3923/ja.2015.139.145. Acesso em: 15 set. 2020.

CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da safra brasileira de grãos. Safra 2019/2020, v. 8, n. 1, 2020.

DOS SANTOS, C. J. O. G. et al. Efeito da desfolha na altura de plantas e produtividade de grãos de canola (Brassica napus L.). Revista Ciência Agrícola, v. 18, n. 1, p. 11-19, 2020. DOI: https://doi.org/10.28998/rca.v18i1.8006. Acesso em: 8 ago. 2020.

DOS SANTOS, H. G. et al. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, DF: Embrapa, 2018., 2018.

HARKER, K. N. et al. Seed size and seeding rate effects on canola emergence, development, yield and seed weight. Canadian Journal of Plant Science, v. 95, n. 1, p. 1-8, 2015. DOI: https://doi.org/10.4141/cjps-2014-222. Acesso em: 21 set. 2020.

HARKER, K. N. et al. Seeding depth and seeding speed effects on no-till canola emergence, maturity, yield and seed quality. Canadian Journal of Plant Science, v. 92, n. 4, p. 795-802, 2012. DOI: https://doi.org/10.4141/cjps2011-189. Acesso em: 11 ago. 2020.

JACOB JUNIOR, E. A. et al. Changes in canola plant architecture and seed physiological quality in response to different sowing densities. Revista Brasileira de Sementes, v. 34, n. 1, p. 14-20, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222012000100002. Acesso em: 11 ago. 2020.

KACHMAN, S. D.; SMITH, J. A. Alternative measures of accuracy in plant spacing for planters using single seed metering. Transactions of the ASAE, v. 38, n. 2, p. 379-387, 1995. DOI: http://dx.doi.org/10.13031/2013.27843. Acesso em: 3 set. 2020.

KRÜGER, C. A. M. B. et al. Arranjo de plantas na expressão dos componentes da produtividade de grãos de canola. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 11, p. 1448-1453, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2011001100005. Acesso em: 10 set. 2020.

PAULO, M. V. et al. Sowing speed in no tillage system on early development of maize crop. Scientia Plena, v. 14, n. 2, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.14808/sci.plena.2018.023101. Acesso em: 10 set. 2020.

PEEL, M. C.; FINLAYSON, B. L.; MCMAHON, T. A. Updated world map of the Köppen-Geiger climate classification. 2007. DOI: https://doi.org/10.5194/hess-11-1633-2007. Acesso em: 3 set. 2020.

NADIN, W. et al. Effect of the Sowing Speed on the Distribution Regularity of Maize Seeds. Journal of Experimental Agriculture International, p. 1-8, 2019. DOI: https://doi.org/10.9734/jeai/2019/v37i230259. Acesso em: 14 set. 2020.

SCHILLINGER, W. F.; PAULITZ, T. C. Canola versus wheat rotation effects on subsequent wheat yield. Field Crops Research, v. 223, p. 26-32, 2018. DOI: https://doi.org/10.1016/j.fcr.2018.04.002. Acesso em: 8 ago. 2020.

SNOWDON, R. J.; INIGUEZ LUY, F. L. Potential to improve oilseed rape and canola breeding in the genomics era. Plant breeding, v. 131, n. 3, p. 351-360, 2012. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1439-0523.2012.01976.x. Acesso em: 11 ago. 2020.

VILA-AIUB, M. M.; GUNDEL, P. E.; PRESTON, C. Experimental methods for estimation of plant fitness costs associated with herbicide-resistance genes. Weed Science, v. 63, n. SP1, p. 203-216, 2015. DOI: https://doi.org/10.1614/WS-D-14-00062.1. Acesso em: 2 out. 2020.

WANASUNDARA, J. P. D. et al. Proteins from canola/rapeseed: Current status. In: Sustainable protein sources. Academic Press, 2017. p. 285-304. DOI: https://doi.org/10.1016/B978-0-12-802778-3.00018-4. Acesso em: 8 ago. 2020.

WEIRICH NETO, P. H. et al. Qualidade na semeadura do milho. Engenharia Agrícola, v. 35, n. 1, p. 171-179, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4430-Eng.Agric.v35n1p171-179/2015 . Acesso em: 28 ago. 2020.

YANTAI, G. et al. Canola seed yield and phenological responses to plant density. Canadian journal of plant science, v. 96, n. 1, p. 151-159, 2016. DOI: https://doi.org/10.1139/cjps-2015-0093. Acesso em: 25 ago. 2020.

Publicado

2021-06-21

Como Citar

Grün, E. ., Corrêa, A. R. ., Cechin, J. ., & Martin, T. N. . (2021). AUMENTO DA VELOCIDADE DE SEMEADURA ALTERA A DISTRIBUIÇÃO DE PLANTAS DE CANOLA. Vivências, 17(33), 243-253. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i33.420

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO