ENVELHECIMENTO E CORPOREIDADE

DO CORPO-OBJETO AO CORPO-SUJEITO NAS DISCUSSÕES SOBRE A CIDADANIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i33.411

Resumo

O objetivo do artigo é discutir o processo de envelhecimento por meio da orientação freireana de “corpo consciente”, destacando o corpo como uma construção social. Por meio de recortes de pesquisa teórica desenvolvida junto à investigação de mestrado interdisciplinar em ciências humanas, o pressuposto assumido é que a cidadania é um compromisso político que deve envolver todas as faixas etárias, sobretudo em cenário de mudança demográfica com um maior envelhecimento médio da população. O exercício da cidadania é entendido como a conscientização política permeada de noções contratualistas com vistas ao Estado democrático de direitos. Dentro da concepção de educação por toda a vida, sempre é possível aprender e se envolver em processos de crescimento pessoal e comunitário. Nesse sentido, o debate sinaliza para a importância das políticas públicas voltadas ao grupo idoso, compreendendo o envelhecimento de forma interdisciplinar nas dimensões biológicas, psicológicas e sociais. Portanto, o debate teórico realizado permite novas sínteses conceituais para pesquisas sobre envelhecimento nas mais diferentes áreas científicas.       

Biografia do Autor

Allana Carla Cavanhi, Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, RS, Brasil

Professora Substituta no IFSC. Mestra pelo Programa Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH) da UFFS Campus Erechim (Bolsista CAPES). Licenciada em Educação Física (UFPel).

Thiago Ingrassia Pereira, Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, RS, Brasil

Professor de Sociologia e Sociólogo. Doutorado (UFRGS) e Pós-Doutorado em Educação (Universidade de Lisboa). Professor de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação (PPGPE) e do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim. Tutor do Grupo PET Conexões de Conhecimento - Praxis (FNDE).

Referências

AGUIAR, R. A.; SANTOS, E. F.; SILVA, L. A. G. da. Envelhecimento populacional: o impacto social e psicológico da capacidade funcional e autonomia na longevidade. Revista FAEF, 2013.

ANTÉRIO, D.; SILVA, P. N. G. da. Corpo subjetivado: conceitos e significados para a educação. Caderno de Educação Física, Cândido Rondon, v. 10, n. 18, p. 67-73, 2011.

BARROS, M. B. A.; GOLDBAUM, M. Desafios do envelhecimento em contexto de desigualdade social. Revista de Saúde Pública, 52, supl. 2, p.1-3, 2018.

BLESSMANN, E. J. Corporeidade e envelhecimento: o significado do corpo na velhice. Estudos interdisciplinares sobre o envelhecimento, Porto Alegre, v. 6, p. 21-39, 2004.

BRAGA, P. M. V. Envelhecimento, ética e cidadania. Revista Jus Navigandi, Teresina, v. 6, n. 52, nov. 2001.

BRASIL. Política Nacional do Idoso: (Lei n.º 8842/1994). Brasília, DF. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8842.htm >.

BRASIL. Estatuto do idoso: (Lei n.º 10.741/2003). Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2004. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm >.

BRASIL. Portaria 2.528/2006: Ministério da Saúde. Dispõe sobre aprovação da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html >. Acesso em: 12 jul. 2019.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm >. Acesso em: 10 maio 2019.

CAMARANO, A. A. E a vida se alonga além dos 60: como? In: CAMARANO, Ana A. (org.). Os novos idosos brasileiros muito além dos 60?. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, p. 588-594, 2004.

CAMARANO, A. A.; PASINATO, M. T. O envelhecimento populacional na agenda das políticas públicas. In: CAMARANO, Ana A. Os novos idosos brasileiros muito além dos 60?. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, p. 253-292, 2004.

CAROLINO, J. A.; SOARES, M. de L.; CÂNDIDO, G. A. Envelhecimento e cidadania: possibilidades de convivência no mundo contemporâneo. Qualitas Revista Eletrônica, v. 1, n. 1, p. 1-11, 2011.

CARVALHO, J. M. de. Cidadania no Brasil. 24. ed. Editora Civilização Brasileira, 2018.

CERQUIER-MANZINI, M. L. O que é cidadania. 4. ed. Editora Brasiliense, 2010.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 18. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

FERREIRA, O. G. L.et al. Significados atribuídos ao envelhecimento: idoso, velho e idoso ativo. Psico-USF, Itatiba, v. 15, n. 3, p. 357-364, dez. 2010.

FREIRE, P.; FAUNDEZ, A. Por uma pedagogia da pergunta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessário à prática educativa [versão digital]. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1981.

GÓES, T. K. da S. O Conteúdo Sóciojurídico do Direito de Inclusão Social do Idoso. Estudos, Goiânia, v. 34, n. 5/6, p. 371-382, jun. 2007.

GONÇALVES, L. G. A noção de corpo(s) consciente(s) na obra de Paulo Freire. Conselho Pastoral dos pescadores. 2012. Disponível em: < http://www.arquivo.cppnac.org.br/corpo-115consciente/>. Acesso em: 10 maio 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD Contínua: Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017. [S. l.]: S. l. Estatísticas sociais, 2018. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em-2017?fbclid=IwAR26Si7qBnrcaWBilx6_kCbgBgn91PiFTaTxZclRazVUYQ9MALJ_r9M2i-4>. Acesso em: 8 mar. 2019.

KÜCHEMANN, B. A. Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Revista Sociedade e Estado, v. 27, n. 1, abril, 2012.

LEIS, H. R. Sobre o conceito de interdisciplinaridade. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, vol. 73, p. 2-23, 2005. DOI: https://doi.org/10.5007/2176.

MARTINS, R. M. L.; RODRIGUES, Maria de L. M. Estereótipos sobre idosos: Uma representação social gerontofóbica. Revista Millenium RE, n. 29, p. 249-254, jun. 2004.

MARTINS, E. C. A corporeidade na aprendizagem escolar (Entrelaços fenomenológicos do pensar e agir). Educar em Revista, Curitiba, n. 56, p. 163-180, jun. 2015.

MELO, L. A. de; et al.. Fatores socioeconômicos, demográficos e regionais associados ao envelhecimento populacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, p. 494-502, 2017.

MIRANDA, G. M. D.; MENDES, A. da C. G.; SILVA, A. L. A. da. Desafios das políticas públicas no cenário de transição demográfica e mudanças sociais no Brasil. Interface Comunicação Saúde Educação, v.21, n. 61, p. 309-320, 2017.

Organização Mundial de Saúde (OMS). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Livro Virtual, 2005. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf> Aceso em: 10 jul. 2019.

PEREIRA, D. de A.; TODARO, M. de Á. Paulo Freire e o Corpo Consciente. 37. Reunião Nacional da ANPEd, UFSC – Florianópolis, 4 a 8 de outubro de 2015.

PERES, M. A. de C. Velhice, trabalho e cidadania: as políticas da terceira idade e a resistência dos trabalhadores idosos à exclusão social. 2007. 372p. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

PIZZANI, L. et al. A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 10, n. 1, p. 53-66, jul./dez. 2012.

SOARES, M. G.; CRUZ, I. R. da R. Corporeidade e educação popular: intervenção teórico-prática em ambiente hospitalar. Revista Linhas, Florianópolis, v. 20, n. 44, p. 257-280, dez. 2019.

SOUZA, E. R. de; et al.. O Idoso sob o Olhar do Outro. In: Antropologia, saúde e envelhecimento. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2002.

UCHÔA, E. Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso. Caderno de Saúde Pública, v. 19, n. 3, p. 849-53, 2003.

VERAS, R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Revista Saúde Pública, v. 43, n.3, p 548-554, 2009.

ZIMERMAN, G. I. Velhice. Aspectos biopsicossociais. 1. reimpressão. Porto Alegre: ArtMed, 2005.

Publicado

2021-06-21

Como Citar

Carla Cavanhi, A., & Ingrassia Pereira, T. (2021). ENVELHECIMENTO E CORPOREIDADE: DO CORPO-OBJETO AO CORPO-SUJEITO NAS DISCUSSÕES SOBRE A CIDADANIA. Vivências, 17(33), 69-82. https://doi.org/10.31512/vivencias.v17i33.411

Edição

Seção

ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO